Governadores - Affonso Augusto Moreira Penna

Mandato: 13/07/1892 à 07/09/1894
Publicado em: 09/12/2016 Hora: 15:12:12

Biografia

Natural de Santa Bárbara (MG), nasceu em 30 de novembro de 1847 e faleceu em 14 de junho de 1909, no Rio de Janeiro
Filho do português Domingos José Teixeira Penna e Ana Moreira dos Santos Penna
Formação: Curso de Humanidades no Caraça e Bacharel em Ciências Jurídicas - Faculdade de Direito de São Paulo -1870

Atividades

  • Deputado provincial - 1874 -1879
  • Deputado geral pelo Partido Liberal - 1878-1889
  • Ministro da Guerra do gabinete Martinho Campos
  • Ministro da Agricultura, Comércio e Obras Públicas do gabinete Lafayete
  • Ministro da Justiça no gabinete Saraiva - concedeu liberdade aos escravos maiores de 60 anos 1885
  • Conselheiro de Estado - nomeado por D. Pedro II - 1888
  • Membro da comissão incumbida de elaborar o Código Civil Brasileiro - 1888
  • Senador e presidente da comissão encarregada da redação geral da Constituição do Estado pelo Partido Republicano Mineiro - 1891 a 1895
  • Presidente do Estado de Minas Gerais - 1892 a 1894
  • Presidente  do Banco da República (atual Banco do Brasil) - 1895-1898
  • Diretor e professor da Faculdade Livre de Direito de Minas Gerais -1899
  • Primeiro presidente do Conselho Deliberativo de Belo Horizonte - 1899 a 1904
  • Eleito senador estadual - 1900
  • Vice- presidente da República - 1903
  • Eleito presidente da República  - 1906

Trajetória

Da infância na histórica Santa Bárbara, até a Presidência da República, Affonso Penna trilhou um caminho sólido e intenso na política brasileira, sempre respeitado pelo seu caráter firme, pelos ideais e pela inteligência. Pertenceu a uma das mais famosas turmas da Faculdade de Direito de São Paulo, no Largo de São Francisco; foram seus colegas de sala de aula, Joaquim Nabuco, Rui Barbosa, Castro Alves, Rodrigues Alves e Crispim Jacques Bias Fortes. Ocupou diversos cargos da Monarquia à República sendo sempre fiel aos seus ideais. Foi abolicionista e assinou a Lei do Sexagenário, no dia 28 de setembro de 1885. Já no período da República preferiu se afastar da política por não concordar com o golpe de Floriano Peixoto. Como presidente do Estado de Minas Gerais, suas principais ações foram a construção de estradas de ferro, a redução de juros bancários, a criação da Faculdade Livre de Direito de Minas Gerais e a mais significativa de todas - a assinatura da lei para a construção da nova capital de Minas Gerais.

Antes de assumir a Presidência da República, viajou pelo Brasil para conhecer melhor as necessidades do País. Ágil, inquieto e de pequena estatura, ganhou o apelido de Tico-Tico. Para a composição de seu Ministério, escolheu ministros e jovens e com conhecimento técnico, causando o desagrado e a oposição de velhos políticos. Esse Ministério ficou conhecido como "Jardim de Infância".

As ações que marcaram o governo Affonso Penna na Presidência da República foram: estabilização cambial e monetária; desenvolvimento das comunicações telegráficas com o objetivo que todos os Estados fossem beneficiados; expansão da rede ferroviária - Estradas de Ferro Central do Brasil, Oeste de Minas, Leopoldina, Goiás, Sorocabana, Madeira e Madeira, Central de Alagoas, São Luiz e Baturité; obras de melhoramentos dos portos de Taqui (MA), Camocim (CE), Paranaguá (PR), Rio Grande (RS) e os portos de Natal, Recife, Vitória, Corumbá e Rio de Janeiro; construção e reparos dos prédios da Escola de Belas Artes, Biblioteca Nacional, Museu Nacional, Faculdade de Medicina da Bahia e Faculdade de Direito do Recife, Supremo Tribunal Federal e de estabelecimentos militares; saneamento do Rio de Janeiro, então capital federal; incentivo da imigração estrangeira; reformulação da organização interna do Exército sob a supervisão do ministro da Guerra, general Hermes da Fonseca; aprovação da lei que tornou o serviço militar obrigatório; criação do Ministério dos Negócios da Agricultura, da Indústria e Comércio e do Serviço Geológico e Mineralógico do Brasil.

Em 1909 a saúde do presidente Affonso Penna estava abalada - na vida política, crise pela disputa da sucessão; na vida pessoal, a profunda tristeza pela morte do filho Álvaro. Mesmo assim, não tirou licença e continuou trabalhando. Vítima de uma forte gripe que evoluiu para uma broncopneumonia, Affonso Augusto Moreira Penna faleceu em junho de 1909 exercendo a função de presidente da República.

OUTROS PRESIDENTES

Olegário Dias Maciel
04/08/1924 a 21/12/1924 e de 07/09/1930 a 05/09/1933
Olegário Dias Maciel
Wenceslau Braz Pereira Gomes
03/04/1909 a 07/09/1910
Wenceslau Braz Pereira Gomes
Tancredo de Almeida Neves
15/03/1983 a 14/08/1984
Tancredo de Almeida Neves
Rondon Pacheco
15/03/1971 a 15/03/1975
Rondon Pacheco
Raul Soares de Moura
07/09/1922 a 04/08/1924
Raul Soares de Moura
Noraldino de Lima
17/11/1946 a 20/12/1946
Noraldino de Lima
Nísio Batista de Oliveira
04/11/1945 a 03/02/1946
Nísio Batista de Oliveira
Newton Cardoso
15/03/1987 a 15/03/1991
Newton Cardoso
Milton Soares Campos
9/03/1947 a 31/01/1951
Milton Soares Campos
Juscelino Kubitschek de Oliveira
31/01/1951 a 31/03/1955
Juscelino Kubitschek de Oliveira
   
Existe(m) presidente(s) cadastrados